Entrevistas

Pacing sem fios: “um avanço absolutamente extraordinário em relação a toda a história do pacing cardíaco”
Dr. Pedro Silva Cunha
19 Mar. 2019

Nos últimos anos, têm-se registado diversas inovações e novas tecnologias na área do pacing cardíaco. Um deles é o pacing sem fios, “um avanço absolutamente extraordinário”, que pode beneficiar, principalmente, doentes graves ou com doenças associadas. Ao Dr. Pedro Silva Cunha foi atribuída a responsabilidade de abordar este tema durante a Reunião Arritmias 2019, apresentando as mais-valias e as limitações que ainda existem, numa tecnologia que, “hoje em dia, não pode ainda ser aplicada a todos os doentes”. Assista ao vídeo da entrevista ao My Cardiologia.

 

Alterações do sistema nervoso autónomo apresentam consequências no desenvolvimento de arritmias ventriculares
Dr. Pedro Carmo
19 Mar. 2019

O Dr. Pedro Carmo foi um dos intervenientes na sessão conjunta com a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC), durante a Reunião Arritmias 2019, para abordar o tema das “alterações do sistema nervoso autónomo e as suas implicações nas arritmias ventriculares”. Como afirma o especialista, em entrevista ao My Cardiologia, apesar de esta ser já uma relação conhecida e bastante próxima, “as ferramentas de que dispomos atualmente para a avaliar são relativamente insipientes”. Assista ao vídeo.

 

Mais-valia das novas tecnologias no tratamento de arritmias complexas
Prof. Doutor Paolo Della Bella e Prof. Doutor Mário Oliveira
19 Mar. 2019

Durante o segundo dia da Reunião Arritmias 2019, decorreu um simpósio sobre as mais-valias do software Lumipoint, que contou com a moderação do Prof. Doutor Mário Oliveira, presidente da Associação Portuguesa de Arritmologia, Pacing e Eletrofisiologia (APAPE), e preleção do Prof. Doutor Paolo Della Bella, do Ospedale Universitario San Raffaele di Milano. Em discussão esteve a utilização desta tecnologia, enquanto facilitadora no tratamento de arritmias complexas. Assista aos vídeos das entrevistas dos especialistas ao My Cardiologia.

 

Síndrome metabólica: “doença do estilo de vida preditora de fibrilhação auricular”
Prof.ª Doutora Natália António
19 Mar. 2019

Na síndrome metabólica, são avaliados determinados componentes, nomeadamente “a obesidade abdominal, a pressão arterial, a anomalia do metabolismo glucídico e o perfil lipídico”. Além de esta poder ser considerada “a doença do estilo de vida”, a síndrome metabólica é também um “preditor de fibrilhação auricular (FA)”, que, tal como acontece com os fatores de risco tradicionais, aumenta o risco de desenvolvimento de FA. Por isso, a Prof.ª Doutora Natália António afirma ser fundamental controlá-la. Assista ao vídeo da entrevista ao My Cardiologia realizada durante a Reunião Arritmias 2019.

Arritmias 2019 “consolida o seu espaço” de intercâmbio entre profissionais de diversos países
Prof. Doutor Mário Oliveira
19 Mar. 2019

Durante os últimos dias 15 e 16 de março, no Hotel Cascais Miragem, decorreu a Arritmias 2019, numa iniciativa da Associação Portuguesa de Arritmologia, Pacing e Eletrofisiologia (APAPE) e do Instituto Português do Ritmo Cardíaco (IPRC). A Reunião serviu de espaço ao “intercâmbio de conhecimento e experiência” entre profissionais de diferentes países, ao longo de conferências, mesas-redondas, simpósios e workshops. Assista a vídeo da entrevista do Prof. Doutor Mário Oliveira ao My Cardiologia e percorra a galeria para ver alguns dos melhores momentos do encontro.

 

Registos europeus de FA são “muito importantes na prática clínica” porque permitem maior conhecimento da doença
Dr. Francisco Moscoso Costa
19 Mar. 2019

O impacto dos registos europeus de fibrilhação auricular (FA) para a prática clínica esteve em discussão durante a sessão conjunta com a European Heart Rhythm Association (EHRA), na Reunião Arritmias 2019. A apresentar as razões pelas quais este registo é uma mais-valia a longo prazo esteve o Dr. Francisco Moscoso Costa. De acordo com o especialista, “os registos são muito importantes na prática clínica”, uma vez que permitem uma maior informação sobre a doença, conhecendo melhor “o prognóstico, a mortalidade e as comorbilidades associadas”. Assista ao vídeo da entrevista ao My Cardiologia.

 

“Mais de 300” especialistas nacionais e internacionais reunidos para discutir as arritmias cardíacas
Dr. Daniel Bonhorst
19 Mar. 2019

Contando com “mais de 300 presenças”, este é “o grande encontro de arritmologistas”. É assim que o Dr. Daniel Bonhorst caracteriza a Reunião Arritmias, que reúne, todos os anos, os profissionais de saúde que trabalham no campo das arritmias cardíacas. Em entrevista ao My Cardiologia, o presidente do Instituto Português do Ritmo Cardíaco (IPRC) destaca o peso dos especialistas estrangeiros registado nesta edição. Assista ao vídeo.

 

CPC 2019: homenagem à UTIC Arsénio Cordeiro assinala os 50 anos dos Cuidados Intensivos Cardíacos em Portugal
Dr. Daniel Ferreira, presidente CPC 2019
12 Mar. 2019

O Congresso Português de Cardiologia (CPC) deste ano, não só assinala a sua 40.ª edição e o 70.º aniversário da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC), como também celebra “os 50 anos de Cuidados intensivos Cardíacos em Portugal”. Por essa mesma razão, “a SPC irá prestar, com muita honra, uma homenagem à UTIC Arsénio Cordeiro do Hospital de Santa Maria (HSM)”. Assista ao vídeo da entrevista do Dr. Daniel Ferreira, presidente do CPC 2019, ao My Cardiologia.

 

“Prestigiadas” Jornadas de Cardiologia do Sul e Regiões Autónomas assinalam 33.ª edição
Dr. Vergílio Schneider
04 Mar. 2019

“Uma reunião já com algum prestígio no nosso universo científico”. É desta forma que o Dr. Vergílio Schneider caracteriza as 33.ªs Jornadas de Cardiologia do Sul e Regiões Autónomas, que vão decorrer nos dias 27 e 28 de setembro na Ilha Terceira, Açores. Em entrevista ao My Cardiologia, o especialista afirma que o seu serviço “irá empenhar-se ao máximo para que a reunião corra bem”. Assista ao vídeo.

 

Telemonitorização permite vigilância contínua de doentes com IC grave e "atuação precoce perante ameaça de descompensação"
Prof.ª Doutora Dulce Brito
04 Mar. 2019

O Centro Hospitalar de Lisboa Norte, polo Hospital de Santa Maria, tem implementado um projeto de telemonitorização de doentes com insuficiência cardíaca. De acordo com a Prof.ª Doutora Dulce Brito, coordenadora do projeto, a sua grande mais-valia reside no facto de permitir a "vigilância contínua de doentes com insuficiência cardíaca grave, possibilitando a actuação precoce perante ameaça de descompensação, evitando, assim, re-internamentos hospitalares". No entanto, existe ainda a dificuldade de gerir de forma diária as potenciais descompensações clínicas dos doentes. Leia a entrevista da especialista ao My Cardiologia.

 

Newsletter

Opinião

Quanto mais cedo melhor: o exemplo da hipercolesterolemia familiar
Dr. Pedro Marques da Silva, internista do Hospital de Santa Marta
Os “novos” antidiabéticos na doença cardiovascular
Dr.ª Ana Margarida Monteiro, assistente hospitalar de Endocrinologia, Hospital de Braga

PUB

Apoio

Medinfar