Opinião

Infeção associada aos dispositivos cardíacos eletrónicos implantáveis

02 Abr. 2019

Após a 1.ª implantação de um pacemaker, em 1958, verificou-se ao longo dos últimos anos uma evolução tecnológica notável, com a introdução progressiva de novos dispositivos médicos que se destinam a monitorizar ou a tratar as arritmias ou a insuficiência cardíaca. O conjunto destes aparelhos, denominados dispositivos cardíacos eletrónicos implantáveis (DCEI), engloba os pacemakers (PM), os cardioversores-desfibrilhadores implantáveis (CDI), os sistemas de ressincronização cardíaca (CRT) e os registadores de eventos subcutâneos.

 

Por favor faça ou registe-se para aceder a este conteúdo

Newsletter

Sociedade Portuguesa de Cardiologia

PUB

Apoio

Medinfar